Lifestyle Ator que fez o Coringa comenta discurso sobre ativismo vegano

Ator que fez o Coringa comenta discurso sobre ativismo vegano

Joaquin Phoenix aproveitou o momento de visibilidade para advogar a favor das causas animal e ambiental

  • Lifestyle | Do R7

Joaquin Phoenix é vegano e defende as causas animal e ambiental

Joaquin Phoenix é vegano e defende as causas animal e ambiental

Reprodução/Youtube/Oscars

Na cerimônica do Oscar de 2020, o ator Joaquin Phoenix, que levou a estatueta pela sua interpretação do personagem Coringa, aproveitou a visibilidade do momento para fazer um discurso a favor dos direitos dos animais.

Joaquin foi criado como vegetariano desde os 3 anos de idade e, segundo o Sunday Times, ele e seus irmãos decidiram se tornar veganos depois de ver a forma brutal como alguns peixes foram tratados durante uma viagem de navio de carga de Miami, nos Estados Unidos, à Venezuela.

Apesar de o ator já ser reconhecido como um grande ativista da causa ambiental, o discurso chocou as pessoas, que esperavam que o astro apenas agradecesse a família enquanto estava em cima do palco. Um ano depois, ele comentou o discurso e confessa que sentiu medo ao se posicionar.

Discurso engajado

"Eu não planejei nada. Não fiquei entusiasmado com a oportunidade e isso não é quem eu sou, estava cheio de medo", refletiu ele, ao comentar a necessidade que ele sentiu de usar seu discurso para trazer à tona uma causa importante para ele. "Se estou aqui em cima, não posso simplesmente agradecer a minha mãe", disse.

Suas declarações geraram críticas de Minette Batters, presidente da União Britânica de Fazendeiros (NFU, na sigla em inglês), que afirmou que as celebridades ativistas causaram "enormes danos" aos produtores de carne do Reino Unido. 

Na época, ela disse que os agricultores temiam perder sua fonte de renda e suas propriedades devido ao discurso de Phoenix.

"As celebridades têm que ter cuidado [porque] existem consequências na vida real para os outros. Joaquin Phoenix teve uma vida realmente desafiadora, mas ele tem que se lembrar disso e que há pequenas fazendas familiares que também acabam fragilizadas", defende Batters.

Últimas