Lifestyle Às vésperas do Dia dos Pais, tragédias familiares chocam país

Às vésperas do Dia dos Pais, tragédias familiares chocam país

Programa Fala Que Eu Te Escuto citou casos e discutiu quais são os motivadores para esses crimes

  • Lifestyle | Ana Carolina Cury, do R7

Na última terça-feira, dia 3, um crime chocou o país. O filho, de apenas 15 anos, teria matado o próprio pai a tiros em Valinhos, no interior de São Paulo. Segundo informações da polícia, o jovem e a mãe eram vítimas constantes de violência e o assassinato aconteceu em legítima defesa.

No dia seguinte, outra notícia triste. Em Vila Velha, no Espírito Santo, um rapaz de 22 anos esfaqueou os tutores e, depois, se matou. Investigadores detalharam que ele ingeriu bebida alcoólica e, alcoolizado, esfaqueou a mãe, que dormia no momento do ataque. O pai, ao tentar defender a esposa, entrou em luta corporal com o filho, mas também foi esfaqueado até a morte. Após o homicídio, o autor tirou a própria vida.

Aumento de casos de tragédia familiares chama atenção

Aumento de casos de tragédia familiares chama atenção

Reprodução

Enquete

"Estamos sendo bombardeados, praticamente todos os dias, com notícias de tragédias familiares. O que está acontecendo com a família? Em sua opinião o que motiva esse tipo de crime: um momento de fúria, desvio de caráter ou falta de afeto no lar?", questionou o Bispo Eduardo Bravo na edição desta sexta-feira do programa Fala Que Eu Te Escuto.

Para a advogada Daiane dos Reis, a falta de estrutura familiar é a grande motivadora dessas tragédias. "Podemos observar que, nos casos noticiados na imprensa, há uma grande ausência de união familiar. Normalmente, a relação entre os familiares já era ruim anteriormente, não tinha afeto. E isso, infelizmente, motiva os crimes", opinou.

Para a espectadora Sirlene Siqueira há algo em comum entre os criminosos. "Com certeza é a falta de caráter. Além disso, a sociedade tem feito de tudo para destruir a família. Isso só contribui para a desunião".

Abrigando o inimigo

Muitos casos de pais ou padrastos que matam os próprios filhos também têm aumentado. Segundo especialistas, começar um relacionamento é importante, mas, quando esse momento vem depois de uma separação que deixou como fruto uma criança, cautela se torna a palavra-chave. Afinal de contas, o novo parceiro precisa ser, antes de tudo, bom para o filho. E como saber isso com poucos meses de convivência? É necessário conhecer muito bem o futuro cônjuge, antes de obrigar uma criança aceitar a ideia de ter um novo padrasto ou madrasta.

Infelizmente, há muitos pais e mães que têm deixado de lado esse tipo de avaliação. Assim, notícias sobre violência praticada por padrastos e madrastas contra crianças e adolescentes são cada vez mais comuns.

Programa abordou o tema e reforçou a importância de buscar ajuda

Programa abordou o tema e reforçou a importância de buscar ajuda

Divulgação

Proteção

Há casos de famílias inteiras marcadas por tragédias como assassinados e suicídios, por isso, a espectadora Cristiane Colaço afirmou que é preciso investir na prevenção. "Está nítido que a ausência de afeto familiar gera uma bola de neve. Então, a melhor forma de evitar esse tipo de mal é investir na boa referência familiar. Os pais precisam ser presentes na vida dos filhos".

Ao final do programa, 52% dos participantes da enquete disseram acreditar que o maior motivador das tragédias é a ausência de afeto no lar. "Além disso, precisamos falar que há uma atuação espiritual que tem destruído as famílias e as pessoas não podem ter vergonha de buscar ajuda. Se você tem passado por isso, te convido para estar presente nesta sexta-feira em uma Universal mais próxima", concluiu o apresentador, Bispo Eduardo Bravo.

O programa Fala Que Eu Te Escuto é exibido de terça a sábado pela Record TV, a partir de 00h45. Quem se encontra em outros países pode assistir pela Record Internacional ou pelo Facebook.

Últimas