ÁREA DE MULHER Remédios que grávida não pode tomar – Categorias de risco

Remédios que grávida não pode tomar – Categorias de risco

Os remédios são separados em categorias (A, B, C, D e X), as quais indicam se podem ou não serem tomados por grávidas sem maiores complicações. Essa matéria Remédios que grávida não pode tomar – Categorias de risco foi criada pelo site Área de Mulher.

Area de Mulher

A gravidez é, sem sombra de dúvidas, um processo especial na vida de muitas mulheres. Uma vida está surgindo dentro do corpo de outra vida, e por conta disso a saúde vem sempre em primeiro lugar para que tudo ocorra bem. Por conta disso, há uma grande preocupação na mente das grávidas sobre quais remédios elas podem tomar durante a gravidez e quais são os riscos. Pois bem, é sobre isso que vamos falar aqui para saciar todas as dúvidas.

Em tese, nenhum remédio deve ser tomado por uma mulher grávida sem que haja a indicação de um médico. Mesmo os remédios que foram testados e afirmados como seguros, devem ser receitados por um profissional, pois somente ele tem o poder de indicar o melhor medicamento e a melhor dosagem para uma grávida.

Para facilitar esse processo, há uma categorização dos medicamentos, onde eles foram classificados em níveis de perigo para o organismo. As categorias são: A (os remédios mais seguros), B e C (remédios com seguridade na média) e D e X, proibidos ou não indicados para grávidas. Alguns remédios podem causar má formação, aborto espontâneo e diversos outros problemas no feto. Além disso, caso sejam ingeridos no começo da gestação, podem ser ainda mais prejudiciais.

grávida com remédios na mão

grávida com remédios na mão

Area de Mulher
Balança Certa

Para entender melhor, abaixo você vai conhecer as categorias e aprender sobre alguns dos remédios que grávidas podem ou não tomar.

Classificação de remédios que grávida não pode tomar:

Categoria A

Os medicamentos dessa categoria passaram por estudos e testes em humanos e não apresentaram problemas, nem para a mulher, nem para o bebê. Os testes mostraram que os remédios dessa categoria não influenciaram no primeiro trimestre de gravidez, bem como não existindo evidências de problemas nos subjacentes. Ou seja, provavelmente os remédios de categoria A as mulheres grávidas podem tomar, mas o ideal sempre é consultar o obstetra.

Exemplos de remédios da categoria A são retinol A e a piridoxina.

Categoria B

Os remédios da categoria B são medicamentos que não foram testados massivamente em humanos, entretanto, os testes em animais não tiveram efeitos colaterais. Então, quando foram testados em humanos não apresentaram problemas para o feto.

Exemplos de medicamentos da categoria B são benzatron, Gamax, Keforal, Sinvastatina e Busonid.

Categoria C

gravidez

gravidez

Area de Mulher
Pixabay

Esses medicamentos não foram testados em humanos de forma abrangente, porém os testes em animais também não demonstraram riscos para o bebê. No entanto, eles somente são utilizados quando os benefícios sobrepõe os malefícios, como por exemplo Hepatilon, Gamaline V, Pravacol, Desonida e Tolrest. Desse modo, mulheres grávidas devem consultar o médico antes de tomarem o remédio, pois ele indicará se haverá riscos ou não.

Categoria D

Os medicamentos da categoria D foram testados em humanos e apresentaram algum tipo de risco para o feto. Dessa forma, só devem ser utilizados em casos graves, que não possuam outros tratamentos mais seguros, como por exemplo Aspirina; Ácido Acetilsalicílico; Amitriptilina; Azatioprina e Estreptomicina.

Categoria X

Esses medicamentos apresentaram problemas no desenvolvimento do feto, não podendo ser utilizados de forma alguma durante a gravidez. Dentre os remédios, estão o Metotrexato e a Penicilamina.

Remédios que grávida pode ou não tomar: Antibióticos

Tetraciclina

mulher grávida tomando remédio

mulher grávida tomando remédio

Area de Mulher
Vix

Classificado na categoria X, a tetraciclina é capaz de atravessar a placenta e provocar efeitos colaterais no feto. O remédio é muito utilizado para tratamento de acne e infecção urinária, mas não deve ser tomado por mulheres grávidas. Dentre os efeitos colaterais está a descoloração do esmalte dentário do bebê e alterações no desenvolvimento linear do esqueleto fetal. Além disso, ele pode causar aftas, reações fotossensitivas e hipoplasia do esmalte dentário do feto.

Amoxicilina

A amoxicilina é um antibiótico muito utilizado pela população de um modo geral, pois ela trata vários tipos de infecções bacterianas. Quanto as mulheres grávidas, vocês podem ficar tranquilas, pois esse medicamento está classificado na categoria B. Contudo, consulte sempre seu médico, pois somente ele pode te recomendar a dose certa.

Remédios que grávida pode ou não tomar: Antitérmicos e anti-inflamatórios

Os antitérmicos e anti-inflamatórios são os dois tipos de remédios mais comprados em farmácias pela população. Em geral, você não precisa de receita para comprar qualquer um desses, no entanto, se você estiver grávida, é melhor ficar atenta, pois seu organismo não está como era antes. Veja abaixo quando e quais remédios as grávidas podem tomar.

Remédios que grávida não pode tomar — Veja as categorias de risco

Remédios que grávida não pode tomar — Veja as categorias de risco

Area de Mulher
Sempre Materna

Paracetamol

Apesar de ser um remédio considerado da categoria B, seu uso deve ser moderado. Contudo, o paracetamol é um dos poucos remédios dessa classe que pode ser utilizado por mulheres durante a gravidez. Sendo assim, a dosagem do analgésico e antitérmico é de, no máximo, 1 grama por dia. Ele é um medicamento muito importante para as grávidas, pois ele resolve problemas que são oriundos do processo de gravidez, como dores de cabeça e febres.

Para evitar transtornos, consulte seu médico, pois ele lhe indicará a melhor dosagem para o seu organismo em específico.

Dipirona

O uso da dipirona por mulheres grávidas deve ser evitado, pois seu uso pode provocar malformação no feto. Isso acontece porque as substâncias presentes no remédio podem fechar prematuramente o ducto arterial, o que ocasiona problemas de coagulação tanto na mãe, quanto no bebê.

Nos Estados Unidos a venda da dipirona é proibida pois ele pode provocar aplasia medular.

Remédios que grávida pode ou não tomar: Anti-hipertensivo

mulher gestante

mulher gestante

Area de Mulher
Pixabay

Espironolactona

Classificado na categoria D da tabela, o espironolactona é um diurético utilizado no tratamento de hipertensão arterial, porém seu uso durante a gestação deve ser apenas feito sob orientação médica. Entre seus riscos, ele pode provocar malformações fetais e prejudicar a saúde do bebê.

Vitamina:

Ácido fólico

O medicamento ácido fólico deve ser utilizado por todas as grávidas, pois ele ajuda a prevenir problemas no sistema nervoso fetal do bebê. Como resultado, ele reduz o risco de doenças como anencefalia. Portanto, esse remédio está classificado na categoria A da tabela.

gestação

gestação

Area de Mulher
Pixabay

Remédios naturais que grávida não pode tomar

O brasileiro tem costume de consumir muitos remédios naturais e durante a gestação não acontece diferente. Dito isso, é preciso ficar atento às plantas medicinais que não são indicadas para grávidas. Abaixo temos algumas que precisam ser evitadas:

Aloe vera, jaborandi, catuaba, erva de santa maria, hera beldroega, jarrinha lágrima de nossa senhora, mata pasto, erva andorinha, erva grossa, erva de macaé, ruibarbo, artemísia, copaíba, guaco, jurubeba, cáscara sagrada, arnica, mirra, azedaraque, sene, cravo dos jardins, quebra pedra, erva de bicho, angélica canela e ipê.

Quais remédios uma grávida pode tomar?

bebê

bebê

Area de Mulher
Balança Certa

Para saber se uma mulher grávida pode tomar algum remédio ou não, basta verificar na bula a classificação do risco do medicamento. Ele deve indicar categoria de risco A, no entanto, qualquer remédio deve ser utilizado sob orientação médica.

Tomei remédio, mas não sabia que estava grávida. O que fazer?

Caso você tomou algum remédio enquanto estava grávida, mas não sabia da gravidez, o ideal é que você anote todos e avise o seu obstetra o mais rápido possível. Fazer essa comunicação é importante porque talvez seja necessária a realização de exames para avaliar a saúde do bebê, principalmente caso o uso dos medicamentos tenha sido feita nos três primeiros meses de gestação, pois nessa fase é mais propício o surgimento de complicações.

Enfim, leia mais sobre maternidade em O que não comer na gravidez? 13 alimentos que precisam ser evitados.

Fontes: Tua Saúde, Tua Saúde, Meu Fraldario.

Imagens: Bebê Abril, Vix, Pixabay, Sempre Materna, Pixabay, Pixabay, Balança Certa, Balança Certa.

Essa matéria Remédios que grávida não pode tomar – Categorias de risco foi criada pelo site Área de Mulher.

Últimas