Gravidez Anembrionária – O que é, causa e prevenção

A gravidez anembrionária, também conhecida como "ovo cego", é quando o corpo indica todos os sinais de uma gravidez, mas ela não existe.

Tudo começa com uma menstruação, desânimo, enjoos… até mesmo um teste hormonal daria o veredicto: grávida! Mas então, depois de algumas semanas, a ultrassonografia não encontra nada. Infelizmente, se trata de uma gravidez anembrionária. Também conhecida como “ovo cego”, esse transtorno pode afligir qualquer mulher em qualquer gestação em que há fecundação.

Neste tipo de gravidez, o corpo age como se a mulher estivesse, realmente, grávida. Por isso, mesmo que seja realizado o teste, durante as primeiras semanas é possível obter um resultado positivo, pois a placenta está se desenvolvendo e produzindo os hormônios necessários para a gestação. Quando, por volta da quinta semana de gestação, o especialista ainda não consegue localizar o embrião, o exame é repetido em intervalos semanais. Porém, se o quadro persistir é necessário iniciar imediatamente um tratamento.

O que é a gravidez anembrionária
Gravidez Anembrionária: Entenda o que é e o que causa

Gravidez Anembrionária: Entenda o que é e o que causa

Area de Mulher
Bebê

O início da gravidez anembrionária se dá lá no momento da fecundação. A princípio a massa celular proveniente da junção do óvulo com o espermatozoide origina duas estruturas distintas: uma que abrigará o feto e que inclui saco gestacional, placenta e anexos; e outra chamada embrioblasto, que formará o embrião.

Em síntese, uma metade do aglomerado celular se torna o suporte da gravidez, placenta, saco gestacional e líquido amniótico e a outra metade formará o bebê em si. O problema se dá nesse momento. Daí ocorre a “gravidez parcial”, pois o zigoto não se desenvolve corretamente. O saco amniótico está formado, a vesícula vitelínica também, porém o feto não existe ou não cresceu como deveria.

De qualquer forma, até ao fim dos primeiros 3 meses de gravidez, o corpo irá identificar que não existe um embrião crescendo no interior do saco gestacional e terminará a gravidez, causando um aborto. Por vezes, este processo é muito rápido. Pode acontecer em poucos dias e, por isso, é possível que a mulher nem perceba que esteve grávida.

Porém, é comum que o corpo não expulse o saco gestacional, por isso, deve ser procurado um especialista que indicará a medicação adequada e assim, induzir ao aborto.

Como identificar a gravidez anembrionária
Gravidez Anembrionária: Entenda o que é e o que causa

Gravidez Anembrionária: Entenda o que é e o que causa

Area de Mulher
Bebê à Bordo

É bem difícil identificar a gravidez anembrionária logo no início da gestação, pois todos os sinais estão ali presentes. Por isso a melhor forma de identificação é através da ultrassom. Mas de qualquer forma, deve-se esperar até pelo menos a oitava semana ou terceiro mês, pois nesse estágio, em uma gravidez saudável o bebê já deveria estar formado. Portanto, durante o exame, o médico poderá identificar a bolsa amniótica mas não ouvirá batimentos cardíacos ou feto.

O que causa a gravidez anembrionária?
Gravidez Anembrionária: Entenda o que é e o que causa

Gravidez Anembrionária: Entenda o que é e o que causa

Area de Mulher
Fertilidade

Geralmente a gravidez anembrionária ocorre por uma falha genética. Na maioria dos casos, se dá por uma alteração nos cromossomos que carregam os genes dentro óvulo ou do espermatozóide e, dessa forma, não é possível prevenir o desenvolvimento deste tipo de gravidez.

É importante ressaltar que esse problema não é hereditário e não existe causas externas que possam ocasiona-lo. Apesar do choque, a mulher não tem motivos nenhum para se culpar, pois não é algo que possa ser evitado.

Como prevenir e quando voltar a engravidar
Gravidez Anembrionária: Entenda o que é e o que causa

Gravidez Anembrionária: Entenda o que é e o que causa

Area de Mulher
Toda Atual

Mas se a mulher estiver tentando engravidar, é bom que use de ácido fólico e administre uma boa alimentação com alimentos ricos em ferro e vitamina B6.

É recomendado também, que a mulher espere até depois da primeira menstruação após o aborto para tentar engravidar novamente. Além do mais, é necessário se certificar que está emocionalmente pronta para recomeçar. As sequelas psicológicas podem ser grande, principalmente para casais que desejam muito crescer a família.

Assim, ressaltamos que esse é, na maioria das vezes, apenas um incidente isolado e não há motivo para ter medo que aconteça novamente. Recomece sem medo!

Gostou dessa matéria? Leia também sobre a gravidez ectópica

Fonte: Tua SaúdeTrocando FraudasBebê

Imagem de destaque: Bebê à Bordo

Essa matéria Gravidez Anembrionária – O que é, causa e prevenção foi criada pelo site Área de Mulher.