Cebola cortada – mitos e verdades e como armazena-la

No ano passado um áudio circulou nas redes sociais afirmando que armazenar cebola cortada na geladeira é prejudicial a saude, veja se é real

A princípio a história de que a cebola cortada é capaz de atrair bactérias e, assim, provocar uma série de doenças começou com um áudio que bombou em 2019. Todavia ainda hoje esse boato atormenta muita gente. Contudo, depois da repercussão do áudio, diversos especialistas afirmam que a alegação é completamente falsa. No final das contas, ficou comprovado que tudo se tratava apenas de uma fake news.

Sobretudo no áudio de aproximadamente 5 minutos, uma mulher diz que guardar cebola cortada na geladeira é um grande perigo, pois funciona como um imã de bactérias, se tornando um veneno para quem consome. Dessa forma várias pessoas se questionavam sobre o assunto e a história começou a ser compartilhada nas mídias sociais.

Cebola cortada guardada na geladeira faz mal, mito ou verdade?

Cebola cortada guardada na geladeira faz mal, mito ou verdade?

Area de Mulher
Portal da indústria

Um dos trechos do áudio dizia que a cebola cortada guardada na geladeira continha tantas bactérias que por isso ela inclusive ficava preta. Entretanto os especialistas que analisaram o áudio afirmam que isso não sentido algum. A cebola cortada de fato fica preta, todavia isso acontece por conta da decomposição. E frequentemente não tem nenhuma relação com bactérias que causam doenças.

O áudio também contém o seguinte trecho “sempre que cortar uma cebola e usar somente metade, coloque a outra metade em algum outro ponto de sua casa, preferencialmente nos quartos, para que absorvam possíveis bactérias”. Definitivamente isso não vai adiantar em nada e só vai deixar sua casa com um péssimo cheiro.

Para estar evitando bactérias em sua casa, você precisa optar por medidas que têm comprovação científica. Como por exemplo lavar as mãos com frequência.

Cebola cortada e guardada na geladeira causa doenças?
Cebola cortada guardada na geladeira faz mal, mito ou verdade?

Cebola cortada guardada na geladeira faz mal, mito ou verdade?

Area de Mulher
Guia da semana

Juntamente com isso, foi falado que a cebola cortada gera gripes e resfriados, mas definitivamente essas doenças são causadas por vírus e não bactérias.

Criofrequência – O que é, como funciona, tipos e benefícios × Como armazená-la?
Cebola cortada guardada na geladeira faz mal, mito ou verdade?

Cebola cortada guardada na geladeira faz mal, mito ou verdade?

Area de Mulher
Tudo gostoso

Antes de mais nada, o correto é armazená-las fora da geladeira em um local seco e arejado, isso caso ela não tenha sido cortada. Mas depois de cortada a melhor forma de guardar a cebola é na geladeira dentro de um pote com tampa de borracha. Isso por no máximo dois dias.

Porém caso queira que ela dure mais, triture ou pique a cebola e misture com azeite e um pouco de sal. Só isso já é capaz de fazer com que ela dure de 4 a 5 dias.

Sobretudo você também pode estar congelando a cebola cortada. Basta picar a cebola como desejar, e usar papel toalha para retirar a umidade, em seguida, guardar em potes com tampa. Mas não se esqueça de fazer porções individuais, já que depois de descongelada a cebola não pode ser congelada novamente.

Contudo deve-se também impedir que o odor se espalhe para os outros alimentos. A cebola, como todo alimento natural que manuseamos e consumimos, traz benefícios se usados e armazenados corretamente.

Os especialistas alertam que é de suma importância ficar de olho no aspecto da hortaliça. Assim como descartá-la logo que perceber qualquer sinal de decomposição. Bem como mudança na cor, na textura e no aroma.

E principalmente deve-se ficar atento as fake news que circulam na internet, todo cuidado ainda é pouco.

Veja a fala de um especialista sobre a polêmica da cebola cortada:

Gostou do conteúdo? leia também: Como cortar cebola de uma forma prática, rápida e fácil

Imagem de destaque: Saúde e Vitalidade

Fontes: Saúde Green Me

Essa matéria Cebola cortada – mitos e verdades e como armazena-la foi criada pelo site Área de Mulher.