Após 11 anos, bailarina clássica ganha sapatilhas da cor de sua pele

Primeira bailarina de uma das companhias de dança mais respeitadas do mundo pintava as próprias sapatilhas para ficarem da cor de sua pele

Com uma década de carreira, Ingrid Silva pintava as próprias sapatilhas

Com uma década de carreira, Ingrid Silva pintava as próprias sapatilhas

reprodução

A brasileira Ingrid Silva é a primeira bailarina de uma das companhias de dança mais respeitadas do mundo, o Dance Theatre of Harlem, em Nova York. Com mais de uma década de carreira, essa é a primeira vez que Ingrid é presenteada com sapatilhas de balé com a cor de sua pele. Ingrid comemorou o pequeno avanço, que logo viralizou nas redes. 

Veja também: Empresário cria touca de natação especial para o cabelo afro

"Pelos últimos 11 anos, eu sempre pintei a minha sapatilha. E finalmente não vou ter mais que fazer isso, escreveu ela em uma publicação que já conta com mais de 100 mil likes. "É uma sensação de dever cumprido, de revolução feita, viva a diversidade no mundo da dança. E que avanço viu demoro mas chego!"

Por que pintar sapatilhas? 

Não era por preciosismo que a bailarina coloria as sapatilhas para que elas tivessem seu tom de pele. Segundo a explicação da própria Ingrid, foi a companhia que ela representa que criou a sapatilha e a meia calça cor da pele. "O diretor Arthur Mitchel percebeu em um ensaio que a meia rosa descontinuava o corpo da bailarina. Ballet veio da Rússia e as sapatilhas sempre foram rosas, mas o mundo da dança vem evoluindo e as marcas deveriam fazer o mesmo", alertou a bailarina, que deixou seu agradecimento especial a marca japonesa Chacotts, importadas pela Freed London, pela sapatilha personalizada.  

A bailarina, que também é ativista e fundadora da plataforma Empower NY, destinada a 'compartilhar histórias de mulheres reais', publicou um vídeo em formato time-lapse no qual mostra o processo de pintura das sapatilhas. Assista!