Alto Astral Seu cachorro lambe muito as patas? Saiba quais podem ser as razões!

Seu cachorro lambe muito as patas? Saiba quais podem ser as razões!

Médica Veterinária explica que o hábito pode ser por estresse e ansiedade

Alto Astral
Seu cachorro lambe muito as patas? Saiba quais podem ser as razões!

Seu cachorro lambe muito as patas? Saiba quais podem ser as razões!

Alto Astral

É muito comum vermos os pets passando a língua no corpo todo, mas você já parou para pensar o porquê do seu melhor amigo ter a mania de ficar lambendo as patas freneticamente? Às vezes, o hábito é tão corriqueiro que é encarado pelos tutores como algo natural, porém, tudo que se torna excessivo e intenso demais pode ser motivo de preocupação.

Há diversas razões para que o cachorro lamba tanto as patas, mas o importante é sempre ficar de olho no seu amigo, visto que, com o excesso de lambidas, bactérias podem vir a infectar o local com mais facilidade e evoluir para casos bem graves.

Sendo assim, para a saúde e um conforto melhor para o seu cachorro, saiba quais são as razões principais para o animal estar adquirindo esse hábito:

Alergias

Como muitos tutores suspeitam, essa é uma das principais causas para a lambida. Segundo Natalia Azevedo, coordenadora do curso de Medicina Veterinária da Faculdade Anhanguera, a alergia gera um incômodo muito grande ao animal e encontra nas lambidas ou mordidas uma maneira de aliviar a coceira. "Quem mora em locais úmidos deve estar atento ao mofo, como também quem costuma soltar o cão em extensões de grama e parques, deve observar o estado do local. Em casa, o jardim deve ser mantido sem alta concentração de agrotóxicos ou produtos químicos", explica a profissional.

Porém, é preciso redobrar a atenção em relação à alimentação do cão. Alimentos alérgenos como aqueles petiscos com grande concentração de corante e comidas de consumo humano não são recomendados de forma alguma pela profissional. "O tutor deve oferecer ração de qualidade, observar os ingredientes para entender a quantidade de corante contida, evitar petiscos coloridos, e oferecer sempre refeições frescas", diz Azevedo.

Ela ainda esclarece que cães adoram comer frutas – mas, claro, sempre sem sementes – ou legumes frescos e pouco calóricos. Assim, opte por esses petiscos!

Dores

Além da alergia, é possível que o cão esteja também com dores.

Muitos cachorros andam por lugares quentes e acabam lesionando suas patas, ou então caminham por vias desregulares, cujos pedregulhos também podem machucá-los. Nesses casos, a veterinária alerta que cabe ao tutor sempre observar o andar do cão e analisar a viabilidade de passear nessas condições.

Fatores emocionais

Por natureza, o cachorro é uma espécie que precisa ser estimulada para gastar sua energia. Cães que ficam muito tempo sozinhos em casa, sem distrações ou atividade física, acabam entediados, estressados e ansiosos.

Segundo a profissional, independentemente do estímulo inicial que engatilhou a lambida ou mordida nas patas, pode acabar virando um transtorno obsessivo compulsivo (TOC), principalmente quando se torna um comportamento muito repetitivo e incessante, causando até traumas físicos no animal e danos ao seu bem-estar.

E quando as lambidas evoluem para mordidas?

Quando há mordidas na região das patinhas, de acordo com a veterinária, isso pode significar infecções causadas por variações climáticas (clima muito seco), intolerância a determinados tipos de alimentos, desequilíbrios hormonais e problemas na tireoide, por exemplo.

Mas também podem ser devido a fatores externos, como espinhos, parasitas como pulgas e carrapatos, resquício de shampoo mal enxaguado durante o banho ou, se o cão tem o hábito de andar ou correr em jardins e gramados, restos de produtos químicos aos quais o animal possui intolerância. Ou seja, fique de olho nos hábitos do seu amigo e verifique se o seu pet possui esses comportamentos.

Mas afinal, como evitar que o animal lamba as patas?

Primeiramente, a especialista alerta que ao menor sinal de anormalidade comportamental, machucado, fissura, infecções e alergia, é necessário buscar por um médico veterinário. Se enquadrar como alergias ou dores, é preciso manter o animal em um espaço limpo, higienizado e com baixa concentração de produtos químicos, e também evitar expor o pet a locais com a superfície quente ou que ofereça algum perigo físico a ele.

Em relação à alergia alimentar, a veterinária aponta: "aposte em refeições balanceadas, com ração de qualidade e jamais oferecer produtos de consumo humano e/ou com muito corante".

Se for o caso de estresse ou ansiedade, o tutor deve fornecer atividades físicas diárias, como jogar bolas e brinquedos para ele pegar, caminhadas, e oferecer desafios ao animal, como esconder alimentos dentro de uma caixa com orifícios. "Isso vai requerer tempo e trabalho mental para o cachorro resolver. Assim, ele gasta energia, se distrai, e essas atividades ficam mais interessantes do que morder ou lamber a pata", diz Azevedo.

E como cuidar da patinha?

De acordo com a veterinária, o tutor deve realizar a higienização do local, limpando e secando bem a região. "Se o cão persistir sem causa aparente e identificável, é preciso levá-lo ao médico veterinário que investigará o que pode estar acontecendo", relata.

Fonte: Natalia Azevedo, médica veterinária coordenadora do curso de Medicina Veterinária da Faculdade Anhanguera.

Últimas