Alto Astral Saiba como cuidar das mãos em tempo de álcool em gel

Saiba como cuidar das mãos em tempo de álcool em gel

Confira algumas dicas para manter suas mãos hidratadas e macias mesmo com o uso intenso de álcool em gel, recomendado para evitar a Covid-19.

Alto Astral
Alto Astral

Alto Astral

Alto Astral

Uma das principais recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para combater a Covid-19, e outras tantas doenças, é a higienização das mãos. Aplicar álcool gel e lavar a região com água e sabão tornou-se um hábito fundamental para preservar a saúde. Apesar de essencial, esses cuidados podem deixar as mãos ressecadas e ásperas.

Para manter a região cuidada, protegida e bem hidratada, confira abaixo algumas dicas essenciais em tempos de coronavírus.

1- Ao escolher o sabonete para lavar as mãos, opte pela versão antibacteriana, que não faz mal à saúde e elimina não só as bactérias como os vírus também. Procure no mercado opções com o pH neutro, que promovem a limpeza ideal sem ressecar ou remover a camada protetora.

2- Escolha o álcool gel que leva glicerina na composição para presentar a hidratação das mãos. Sem o composto orgânico, o produto pode diminuir a camada lipídica (proteção externa) da pele, deixando-a ressecada.

3- Use luvas sempre que mexer com produtos de limpeza. Dê preferência às vinílicas, que geram menos reação alérgica que as de látex.

4- Hidratação é essencial. Invista em um creme hidratante específico para as mãos, bem espesso e emoliente. Além de repor a água perdida e recuperar o toque macio, o produto atua preventivamente ao formar uma película protetora sobre a superfície da pele e evitar a desidratação. Aplique também nas unhas, fazendo uma massagem suave.

5- A cada 15 dias, faça uma esfoliação nas mãos para remover as células mortas da pele, potencializar a absorção dos agentes hidratantes e restaurar o efeito vistoso.

6- Assim como no rosto, o protetor solar também deve ser aplicado nas mãos. O produto é essencial para proteger a pele de manchas causadas pelo sol e o aparecimento dos sinais da idade.

Texto: Baárbara Martinez

Últimas