Alto Astral Descarte de lixo: como reduzir os impactos dos resíduos no meio ambiente

Descarte de lixo: como reduzir os impactos dos resíduos no meio ambiente

Confira atitudes conscientes e sustentáveis para incluir na sua rotina doméstica!

Alto Astral
Shutterstock

Shutterstock

Alto Astral

No Brasil, são geradas 78,4 milhões de toneladas de resíduos sólidos por ano. Dessa quantia, 30 milhões de toneladas são descartadas de forma inadequada. Para completar, a média de resíduos gerados por uma pessoa chega a um quilo por dia. O assunto é tão sério que a Organização das Nações Unidas (ONU) criou um grupo de estudos para criar soluções inovadoras para a gestão do lixo doméstico – já que o resultado do descarte inadequado é a poluição e contaminação do meio ambiente.

Para evitar que isso aconteça, fazer a nossa parte em casa é de grande ajuda. De acordo com Rafael Zarvos, especialista em Gestão de Resíduos Sólidos e fundador da Oceano Resíduos, podemos contribuir e proteger a natureza com algumas medidas simples. Confira algumas dicas de como fazer o seu descarte de lixo da maneira correta!

Dicas para um descarte de lixo mais sustentável e consciente

Descarte de lixo: como reduzir os impactos dos resíduos no meio ambiente

Descarte de lixo: como reduzir os impactos dos resíduos no meio ambiente

Alto Astral
Foto: Shutterstock Resíduo orgânico

“Separe o resíduo orgânico do lixo comum. Para isso, a melhor opção é ter uma composteira ou contratar o serviço de coleta em domicílio. A compostagem é um sistema prático, compacto, higiênico e amigo do meio ambiente, em que minhocas e microorganismos transformam restos de alimentos em adubo de alta qualidade”, explica o especialista.

Lixo reciclável

“Tenha uma lixeira apenas para o descarte de lixo reciclável. Assim, fica mais fácil organizar na hora de levar para a coleta seletiva do prédio ou em postos de entrega voluntária. É importante higienizar os resíduos, apenas passando água, antes de entregá-los para a reciclagem”.

Rejeitos

“Os rejeitos, aqueles resíduos que não podem ser aproveitados, devem ser colocados em caixas de papelão, separados da lixeira doméstica. Entre eles estão absorventes, fraldas, fitas adesivas, etiquetas, papel higiênico e papel engordurado”.

Óleo de cozinha

“Muitas pessoas não sabem o que fazer com o óleo de cozinha que sobra. Uma boa ideia é colher o produto utilizado, colocar em uma garrafa PET e levar em um PEV (Ponto de Entrega Voluntária) próximo à sua casa; ou contratar o serviço de coleta em domicílio”, diz Rafael.

Pilhas, baterias e outros

“Alguns itens precisam de um descarte ambientalmente adequado (em centros de coleta especializados). São eles pilhas, baterias, medicamentos, cosméticos, produtos de limpeza e de higiene pessoal, uma vez que contêm micropoluentes. Objetos perfurocortantes também devem ser descartados adequadamente, dentro de um recipiente resistente, devido ao risco de contaminação ou de cortes”.

Sacolas plásticas

“Tente evitar o uso de sacolas plásticas para descartar o seu lixo. No lugar delas, opte por sacos de papel ou caixas de papelão. Vale lembrar que elas são um dos materiais que mais demoram para se decompor”, finaliza o profissional.

Dica extra: coronavírus

No caso do lixo de uma pessoa contaminada pelo coronavírus, a cartilha do Ministério Público afirma que o descarte dos rejeitos deve ser feito em um saco plástico separado, com o aviso de ‘lixo contaminante’. Além disso, é necessária a utilização de luvas e máscara ao manusear o material. Outra recomendação é separar uma lixeira com tampa especialmente para o quarto do indivíduo isolado.

Colaboração: Rafael Zarvos, especialista em Gestão de Resíduos Sólidos e fundador da Oceano Resíduos | Edição: Milena Garcia e Renata Rocha

Últimas