Alto Astral Conjuntivite e terçol: saiba as principais causas e como evitá-los no verão

Conjuntivite e terçol: saiba as principais causas e como evitá-los no verão

Descubra como proteger melhor seus olhos na estação mais quente do ano!

Alto Astral
Shutterstock

Shutterstock

Alto Astral

Conjuntivite e terçol são problemas oftalmológicos muito comuns, especialmente durante o calor do verão. Por isso, além de visitar um oftalmologista com frequência para manter a saúde dos olhos em dia, também é importante se atentar a alguns cuidados básicos para evitar a contaminação da região. Confira!

Conjuntivite viral

Assim como outras doenças, a conjuntivite viral é adquirida por meio do contato; e sua incidência acaba aumentando durante a estação atual, pois nessa época do ano os vírus conseguem se replicar com mais facilidade. Além disso, é importante ressaltar que, diferente da sua versão bacteriana que deixa os olhos vermelhos e produz uma secreção amarelada, a conjuntivite viral gera excesso de lágrima e o líquido é transparente.

Dicas para evitar o contágio

Toalhas, lápis de olhos, máscaras de cílios e pincéis de maquiagem não devem ser compartilhados. Também é essencial lavar as mãos com frequência antes de ter contato com os olhos (e evitar coçá-los). Principalmente em tempos de coronavírus, em que esses já devem ser cuidados básicos!

Tratamento

O tratamento da conjuntivite é feito com com anti-inflamatório, colírios e lágrimas artificiais. Para tentar diminuir a sensação de desconforto, muitos médicos recomendam compressas de água fria.

Terçol

Diferentemente da conjuntivite, o hordéolo, popularmente conhecido como terçol ou “terçolho”, não passa de uma pessoa para a outra. Ele é causado por bactérias que já estão presentes no organismo. O problema oftalmológico lembra o aspecto de uma espinha, deixando a região da pálpebra dos olhos bastante sensível; muitas vezes quente, inchada e com pus.

Muita gente não sabe, mas a inflamação acontece por conta do bloqueio de secreções das glândulas sebáceas presentes ao redor dos cílios. Quando o tratamento não é feito de forma correta ou até mesmo tardiamente, há chances de que o terçol se torne crônico, virando um calázio.

Principais causas Alteração hormonal Uso diário de maquiagem Coçar os olhos com as mãos sujas Sintomas Olhos lacrimejantes Sensibilidade na borda da pálpebra Inchaço na pálpebra Sensibilidade à luz (fotofobia) Ponto amarelo na região inchada (pus) Tratamento

Há muitos casos em que o terçol desaparece sozinho, mas é importante acompanhar a sua situação para ter certeza de que não é necessário procurar ajuda médica. Também são indicadas compressas de água morna na região, além de colírios anti-inflamatórios, que podem ser prescritos apenas por um oftalmologista!

Texto: Giulianna Lombardi | Edição: Mariana Oliveira e Renata Rocha

Últimas