Alto Astral Confira 5 dicas especiais para diminuir o colesterol ruim

Confira 5 dicas especiais para diminuir o colesterol ruim

Fuja desse mau com as indicações de um especialista no assunto

Alto Astral
Confira 5 dicas especiais para diminuir o colesterol ruim

Confira 5 dicas especiais para diminuir o colesterol ruim

Alto Astral

Normalmente, ouvimos a expressão "colesterol alto" e já associamos a algo ruim, mas nem sempre é assim. Antes de tudo, precisamos entender que o colesterol nada mais é do que uma gordura produzida pelo organismo e que há dois tipos dentro de nós: o LDL, conhecido como "mau", e o HDL, considerado "bom".

Portanto, quando se fala em reduzir esses níveis, a parte em questão é o LDL. A busca pela diminuição desses níveis acontece devido aos prejuízos que seu excesso pode causar à saúde. "Ele pode gerar o acúmulo de placas de gordura nas artérias, impedindo ou dificultando a passagem do sangue. Combinado ao alto nível de açúcar pode aumentar ainda o perfil inflamatório no organismo e levar ao AVC ou infarto", explica o médico nutrólogo e cardiologista Juliano Burckhardt. 

Embora o colesterol seja produzido pelo fígado, ele também é encontrado em alimentos. Assim, segundo o médico, é essencial lembrar que grande parte dessa gordura provém de comidas gordurosas. A partir daí, o órgão responsável pela produção a transformará em LDL.

Algumas medidas simples podem evitar o aumento na taxa do mau colesterol, como a mudança de hábitos alimentares e estilo de vida, dado que alimentação, peso e atividade física são os fatores que mais influenciam nesses níveis. Por isso, confira 5 dicas do especialista que te auxiliarão nessa jornada mais saudável e protegerão a sua saúde!

Inclua fibras na sua alimentação

De acordo com o cardiologista, o consumo de fibras solúveis auxilia diretamente no controle do colesterol, pois elas formam um gel que, no intestino delgado, é capaz de alterar a absorção das gorduras pelo organismo. Sendo assim, o risco de cardiopatias são reduzidos. 

Evite gorduras saturadas e açúcar

Seguir um cardápio rico em gordura saturada, assim como estar acima do peso, eleva o risco de do colesterol aumentado. Por isso, é importante prestar atenção naquilo que come e fazer escolhas saudáveis. 

"Tome cuidado com as gorduras e açúcares escondidos. Seja um comedor informado! Conheça os ingredientes e leia atentamente os rótulos nutricionais para não acabar consumindo sem nem mesmo saber", aconselha Juliano.

Mexa-se!

As atividades físicas não precisam ser sinônimos de treino ou academia. Existem outras maneiras de estar em movimento, como subir mais escadas, caminhar e fazer alguns exercícios simples diariamente, por exemplo.

O nutrólogo garante que ser ativo por apenas meia hora durante a maioria dos dias pode ajudar nessa redução do colesterol ruim e ainda contribuir para aumentar o bom. Ele recomenda ainda arranjar alguém para participar desses movimentos, como uma forma de encorajar essa mudança no estilo de vida.

Consuma "gorduras do bem"

Nem tudo que é gorduroso é ruim, sabia? O DHA, um ácido graxo poli-insaturado, pode ajudar na função cardíaca, além de diminuir o LDL e aumentar o HDL, quando ingerido regularmente. 

Para garantir essa ingestão, o médico indica grandes fontes de DHA, como o salmão, a sardinho e o atum. Mas, para aqueles que não gostam de peixe, ele fala sobre outras opções: uma suplementação com óleo de peixe ou suplementos vegetarianos de algas. 

Pare de fumar!

As substâncias presentes no cigarro podem oxidar o colesterol bom, trazendo consequências catastróficas à saúde, além de transformá-lo em mau. "A oxidação também leva a inflamações nas artérias que podem resultar na formação de placas de gordura, entupindo os vasos. Então, o hábito de fumar é um dos mais nocivos para a saúde do coração", destaca o cardiologista.

Esse caso, portanto, explica que apresentar grandes níveis do LDL são tão prejudiciais, quanto sofrer com a carência do HDL, especialmente se houver reposição sem prescrição médica, afetando diversas áreas. 

Apesar de todas dicas serem úteis e essenciais, é imprescindível consultar um profissional. Afinal, cada organismo se comporta da maneiras diferentes, exigindo, assim, tratamentos distintos. 

Mantenha hábitos saudáveis, cuide da sua alimentação, pratique exercícios físicos, faça checapes regularmente e, sempre que necessário, busque um médico especialista para receber orientação adequada. 

Fonte: Juliano Burckhardt,médico Nutrólogo e Cardiologista, membro Titular da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN) e da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC).

Últimas