Lifestyle Acesso a armas de fogo vira tema de programa e divide opiniões

Acesso a armas de fogo vira tema de programa e divide opiniões

Tema voltou ao centro do debate político no Brasil e Fala Que Eu Te Escuto questionou se o porte de armas é um direito ou uma ameaça

  • Lifestyle | Ana Carolina Cury, Do R7

A autorização do uso de armas de fogo pela população, seja com posse ou com porte, é um debate recorrente na história da política brasileira e, nos últimos anos, voltou à tona.

Recentemente, passou a vigorar no Brasil quatro decretos editados pelo presidente Jair Bolsonaro que eliminam alguns obstáculos para a aquisição de armas de fogo e munições. As principais mudanças incluem a ampliação de quatro para seis do número de armas que uma pessoa pode possuir e também aumenta a quantidade de munição que pode ser adquirida por caçadores, colecionadores e atiradores.

As novas normas editadas por Jair Bolsonaro flexibilizam o acesso a armas e munições

As novas normas editadas por Jair Bolsonaro flexibilizam o acesso a armas e munições

André Ávila / Agência RBS

Mas, apesar dessas alterações, as leis brasileiras ainda estão bem distantes das legislações mais permissivas de outros países, como dos Estados Unidos por exemplo.

Atualmente, dezenas de parlamentares lutam para facilitar o acesso, ao mesmo tempo, civis e especialistas ligados aos direitos humanos criticam a flexibilização.

Opiniões

Diante deste cenário, o programa Fala Que Eu Te Escuto perguntou aos espectadores se o porte de armas no Brasil é um direito individual ou uma ameaça coletiva.

Para o assessor parlamentar, Luiz Tinoco, os brasileiros deveriam ter acesso às armas. "Desarmamos as pessoas de bem e armamos os bandidos, então, eu penso que é um direito do cidadão. Só que isso sendo regulamentado é preciso que haja acompanhamento".

Programa perguntou se os espectadores são favoráveis à flexibilização do acesso a armas de fogo e munições no Brasil

Programa perguntou se os espectadores são favoráveis à flexibilização do acesso a armas de fogo e munições no Brasil

Divulgação

A advogada Tatiana Alves disse concordar com a opinião do assessor parlamentar. "Entendo que é um direito nosso, porque quando autorizamos o porte e a posse de armas estamos promovendo a legítima defesa".

A empresária Patrícia Rocha afirmou que enxerga com preocupação a flexibilização das medidas que restringem o acesso a armas. "É uma ameaça coletiva. Se o armamento trouxesse paz nosso país não seria tão violento. Pessoas de bem não precisam usar armas".

Para 77% das pessoas que participaram da enquete do programa o porte de armas é um direito individual. "A gente sabe que esse assunto é complicado. Existem países que o porte e a posse são permitidos e isso traz mais segurança para a população, mas sabemos que os brasileiros são mais emotivos, então, será que estão preparado para esta mudança?", questionou o apresentador, Bispo Adilson Silva. 

O programa Fala Que Eu Te Escuto é exibido de terça a sábado pela Record TV, a partir de 00h45. Quem se encontra em outros países pode assistir pela Record Internacional ou pelo Facebook.

Últimas